terça-feira, 12 de junho de 2012

A Cruz Missioneira

São Borja possui três Cruzes de Lorena na entrada da cidade, cada uma representa um século de história. Um belo monumento sem dúvida nenhuma. No entanto, a tipologia da cruz adotada na época do tricentenário, em 1982, não é a mesma dos outros 29 povos missioneiros: a Cruz Missioneira!

Cruz Missioneira ou Marco Missioneiro
Colocado junto ao Cais do Porto em 2012 durante a Primeira Semana Missioneira

A Cruz de Lorena foi adotada por diversas entidades sociais e está até no brasão do município. Os são-borjenses não notam a diferença, mas qualquer missioneiro que venha dos outros povos, a primeira coisa que pergunta é o porquê da Cruz de São Borja ser diferente. Mas faz diferença qual cruz foi adotada? Sim! pois sua representação e simbologia tem significados diferentes. A Cruz de Lorena também é utilizada nas Missões, assim como a Cruz de Borgonha, a Cruz Arquiepiscopal ou Cardinalícia, a Cruz Episcopal e a Cruz Patriarcal. No entanto, a Cruz Missioneira é símbolo dos outros 29 povos Missioneiros e representa hoje o símbolo que identifica as Missões para todo o Estado gaúcho.

Na realidade a Cruz Missioneira é uma réplica da "Cruz de Caravaca", sendo “Caravaca de La Cruz”, uma cidade na província de Múrcia, na Espanha, de onde teve origem grande parte dos Padres Jesuítas que aqui no Novo Mundo chegaram para catequizar os índios Guaranis, e construir um modelo de civilização, até então diferente de tudo visto na Europa.

A diferença física entre a Cruz Missioneira e a de Lorena são detalhes, mas os significados são grandes. A primeira tem nas pontas os trevos trifólicos, dos quais o terceiro ou do meio se acha invariavelmente cortado de forma reta, em quanto que a segunda os trevos são completos, redondos.

Em mapa encontrado recentemente no Arquivo Geral do Vaticano, datado de 1691, e que contém a disposição e distância dos Povos Missioneiros, consta em cima de cada Redução, uma Cruz Missioneira, o que reafirma cada vez mais como o símbolo máximo dos 30 povos.

A Cruz Missioneira era usada pelos índios como símbolo do bem contra o mal. Os dois braços simbolizam a fé redobrada e o portador da cruz ao fazer um pedido a Deus devia mantê-lo em secreto. A cruz é considerada como um amuleto, uma proteção espiritual contra todos os males.

Já existe movimento em São Borja para promover a Cruz Missioneira. Recentemente, a
 Prefeitura mandou confeccionar duas Cruzes Missioneiras, obras talhadas pelo artista plástico Rossini Rodrigues, que foram colocadas no trevo da Vila Cabeleira e outra no trevo da ponte da Integração.

Fica a sugestão aos governantes que coloquem também uma réplica da Cruz Missioneira nos trevos de acesso à cidade, e outra no Cais do Porto de São Borja, porta de entrada dos missioneiros, no século XVII. Lembrando que na redução eram quatro, uma em cada canto da praça missioneira.

Em Itaqui colocaram a sua no Parcão.

Matéria publicada no Jornal Armazém da Cultura Edição 01 de agosto de 2011.

9 comentários:

  1. Conheço duas cruzes antigas feitas em madeira que se encontram em terras particulares. Quando pequeno perguntei a meu avô porque havia aquela velha cruz naquele lugar. A resposta que obtive foi que em um passado distante, haviam enterrado um padre naquele local, e também me disse que aquela cruz já estava ali...muito antes dele nascer (meu avô nasceu nos primeiros anos após 1900).
    Alguns anos atrás descobri que naquela região existe mais uma cruz do mesmo tipo porém maior e aparentemente muito mais antiga e que o tempo a derrubara e se encontra no chão. Detalhe: Estas cruzes que me refiro possuem as três extremidades trabalhadas com o formato de uma cruz na extremidade da cruz. As pessoas que conhecem estas cruzes não sabem a origem delas.
    Gostaria de perguntar se existem mais cruzes como estas em terras particulares na região das missões.
    Grato por qualquer resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabriel!!!Muito interessante o teu relato, eu tenho conhecimento de cemitérios antigos de campanha, mas não tenho conhecimento de nenhuma cruz em terra particulares do interior, fiquei bastante curioso, gostaria de conhecer este local, se tiver foto para nós enviar te agradeceria, e em que cidade ou localidade ficam estas cruz, pois dai posso dar uma olhada em alguns mapas antigos para tentar descobrir o que tinha em um passado. meu e-mail jfernandocorrea@yahoo.com.br
      Forte abraço

      Excluir
  2. Muito interessante!!!
    Estou estudando este assunto e ADOREI.
    Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a história, serviu ao meu trabalho. Muito Obrigada.

    ResponderExcluir
  4. Tem que divulgar mais fotos porque e um assunto muito interessante,muito bom !!

    ResponderExcluir
  5. Muito interessante! Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir